Internet é uma realidade em quase todas as empresas portuguesas

Empresas portuguesasMais de 9 em cada 10 empresas em Portugal com 10 ou mais colaboradores utilizam computador com acesso à Internet e quase 60% têm página ou site próprio online.

De acordo com as conclusões do Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) nas Empresas, realizado pelo INE, a banda larga é o acesso à Internet predominante – 93,2% do total empresas e 96,9% do total de empresas com Internet – e a utilização de ligação em banda larga fixa (89,7%) prevalece sobre o uso de banda larga móvel (54%).

Em 2012, 22,1% das empresas realizaram transacções de comércio eletrónico, tendo 12,5% encomendado bens ou serviços através de redes electrónicas e 13,9% recebido encomendas através do site da empresa ou de intercâmbio eletrónico de dados (EDI).

Segundo o INE, as redes sociais são utilizadas por 35,5% das empresas com 10 ou mais pessoas ao serviço para a ligação com clientes, fornecedores e parceiros de negócio e cerca de 60% têm página na Internet ou website próprio ou do grupo a que pertencem.

A probabilidade de uma empresa marcar presença online aumenta com a sua dimensão, variando entre 54,6% nas empresas com 10 a 49 colaboradores, 85% nas empresas de 50 a 249 colaboradores e 97,1% nas organizações com 250 ou mais colaboradores.

Os tipos de funcionalidade oferecidos com maior frequência são a disponibilização de catálogos ou listas de preços (56,6%) e a certificação de segurança no website (40,8%).

O relatório mostra ainda que 35,5% recorre às redes sociais, enquanto 34,4% utiliza sites de partilha de conteúdos multimédia como Youtube, Flickr, Picassa, etc. Dezoito por cento usa blogs da empresa ou microblogs.

Entre as empresas com 10 ou mais colaboradores, 42,3% disponibiliza aos seus trabalhadores equipamentos portáteis com ligação móvel para uso profissional, sendo esta prática “especialmente predominante” nas grandes empresas, onde a percentagem é de 92,4%.

Já 92,1% utilizaram a Internet para o contacto com entidades públicas, sobretudo na obtenção e envio de formulários ou impressos online e também para execução dos procedimentos administrativos completos relativos a declarações do IVA (84,7%) e da Segurança Social (84,6%).

Mais de metade das organizações trabalha com facturas electrónicas, mas a maioria sem estrutura normalizada, aumentando esta proporção com a dimensão das empresas, refere também o relatório.

Fonte: Acepi

Leave a comment